Chefe da arbitragem admite erros “inaceitáveis” no Brasileirão e promete medidas

da apostebet: O presidente da Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Wilson Seneme, admitiu nesta terça-feira (26) que a primeira metade do Campeonato Brasileiro teve equívocos “inaceitáveis”. A declaração foi feita durante um encontro com presidentes de clubes da Série A e B, na sede da entidade, no Rio de Janeiro.

da spicy bet: “Os equívocos que ocorreram até agora, no primeiro turno, alguns são de interpretação, que podem ocorrer, porque fazem parte do jogo. Agora, outros realmente são inaceitáveis e têm que servir como divisor de águas. Eu, como presidente da Comissão de Arbitragem, assumo isso”, disse Semene, sem detalhar os erros.

Leia Mais

Atlético-MG e Palmeiras se manifestam contra erros de arbitragem em jogos importantes Brasil é o maior vencedor de jogos e títulos da Copa América Feminina Justiça de São Paulo autoriza uso de bandeiras com mastro em estádios paulistas

“Fiquei na Conmebol [Confederação Sul-Americana de Futebol] por oito anos. Dois anos como membro da Comissão de Arbitragem e seis anos como presidente da Comissão. [O começo] Foi uma transformação e hoje se nota a diferença da arbitragem sul-americana. Não foi um sucesso do dia para noite. Recordo que, nos primeiros anos de Conmebol, ocorreram erros absurdos, inaceitáveis. Na Conmebol, esse período serviu como um divisor de águas”, recordou o dirigente.

Entre as medidas anunciadas por Seneme, está a realização de uma preparação no meio da temporada, de forma presencial, com 95 árbitros do país, entre os dias 1º e 5 de agosto, no Rio de Janeiro.

Ele também informou que o áudio e o vídeo das principais checagens da arbitragem de vídeo (VAR) serão publicados em até 24 horas após realização da partida na Série A e 48 horas na Série B.

Ainda conforme o dirigente, os juízes que integrarem um quadro com 128 profissionais homologados para atuar com o VAR participarão de sessões de treinamentos práticos e presenciais mensais, a partir do mês que vem.

“Tenho certeza que nós temos a capacidade de melhorar a arbitragem brasileira. Se os clubes tiverem um pouco de compreensão e nos apoiarem, isso vai facilitar muito o desenvolvimento. Vejo qualidade nos árbitros. A gente precisa se acercar deles, monitorá-los, para que melhorem o desempenho”, concluiu Semene.